António de Castro Caeiro

81 ARTIGOS 0 COMENTÁRIOS
Doutorado em Filosofia, António de Castro Caeiro é professor universitário, ensaísta, tradutor e investigador, tendo por áreas de investigação a Filosofia Antiga, a Filosofia Contemporânea e a Fenomenologia.

KLEINES KONZERT (um pequeno concerto)

Um vermelho que onírico te abala—Através das tuas mãos brilha o sol/ Tu sentes o teu coração enlouquecido com delícias/Preparar-se com calma para a acção.

Fim do dia II

Podemos interpretar que ao serão somos mais nós, porque não somos definidos por nada que façamos, não somos oficiais de um ofício, profissionais de uma determinada área. Somos como quem está na sala de estar, à espera. Convivemos com maples, sofás, mesas, cadeiras, quadros, televisões, aparelhagens de som, rádio, livros

Fim do dia I

Entre o fim de cada dia trabalho e o início de outro dia, antes da hora do jantar, há tempo disponível para o que for. Essa hora de fim do dia, antes do jantar, se não houver nenhuma urgência, custa a passar. É um tempo de viragem. Estamos entregues a nós próprios. Temos de ocupar esse tempo

O passeio – poema de Georg Trakl traduzido

Há música a sussurrar no bosque à tardinha. / No milheiral, viram-se espantalhos de semblante sério. / Delicadamente, os sabugueiros espalham-se ao longo do caminho. / Uma casa cintila maravilhosamente e vaga.

Racismo e as raízes do preconceito

Quando me descubro moribundo, descubro-me exposto e vulnerável. Mas descubro também o outro como moribundo, exposto, vulnerável: susceptível de amor.

Três vistas sobre uma rua

A rua é a da infância, da juventude estridente, dos primeiros anos do envelhecimento dos avós. A rua é diferente, quando nos chega uma notícia boa e quando nos chega uma notícia má.

Dois poemas de Georg Trakl traduzidos

Sombras azuladas. Oh!, os vossos olhos escuros, / Que longamente me fixam, ao passar. / Acordes suaves de guitarra acompanham o outono, / No jardim, dissolvido em lixívia castanha.

A hipótese de Alan Shore

James Spader, como Paul Shore, diz à personagem de William Shatner, Denny Cane - n’ A série Boston Legal - que existiremos no Céu como nos dias mais felizes da nossas vidas. Mas nós não sabemos se haverá vida no além

Dois poemas de Georg Trakl traduzidos

Oh! a noite que chega até às aldeias lúgubres da infância. / A lagoa entre as pastagens enche-se com os suspiros pestilentos da melancolia.

Amor de mãe

Amei muitas mulheres na minha vida: na imaginação mais do que na realidade.

Dois poemas de Georg Trakl traduzidos

No pátio, enfeitiçado pela luz láctea do crepúsculo, / Ternos doentes deslizam através do outono acastanhado. / Os seus olhos redondos em cera pensam nos seus tempos dourados, / Cheios de sonhos e paz e vinho.

Vila Nova de Milfontes – Na véspera de partir

Carregávamos o carro de noite. A mãe arrumava o quotidiano da casa num carro pequeno: roupa, tachos, farmácia, livros. Descíamos vezes sem conta as escadas. O carro ficava cheio de véspera. Nem conseguíamos dormir

Melancholia revisitada

O diabo inspira a luxúria, a violência, o priapismo. O próprio casamento para o apóstolo Paulo era a segunda melhor opção. Melhor seria que nunca ninguém vivesse com outrem. O celibato era a melhor opção para o cristão militante. O exercício da castidade é o método.

O nada esvazia

Mais abissal do que a mera negação que se adequa ao pensamento do que não existe e não há é a dureza da contrariedade. A abominação da solidão é duríssima e não anulável. É agudíssima. Em toda a recusa, encontramos uma dor impiedosa.

Poesia de Georg Trakl

Oh! Como parecem existir aqui cheios de angústia e humildade

Da noite para o dia

Um qualquer instante pode durar muitos anos. Um instante tem uma distensão temporal.

Cinco poemas de Georg Trakl traduzidos

Decadência, que suave ensombra a folhagem. / O seu amplo silêncio mora na floresta. / Em breve, uma aldeia pode inclinar-se, como um fantasma. / A boca da irmã sussurra nos ramos negros.

Decisão I

A partir de determinada altura, deixamos de ter aniversários. Fazemos anos todos os dias. Ficámos, de algum modo, à espera. O que era para nós um projecto vital pode ficar hipotecado.

Linguagem II

As formulações de Heidegger, em “A linguagem (Die Sprache)”, não são as mais fácil e directamente inteligíveis. Não são óbvias. A linguagem não é expressão, mas é chamamento

Linguagem I

A tese positiva que Heidegger diz ser a que resulta da inteligibilidade intrínseca da linguagem é formulada numa tautologia

Melancolia do fim

Mesmo sem possibilidades enormes ou oportunidades objectivas, filtra todo e qualquer conteúdo, sem excepção, com a compreensão da véspera auspiciosa do que aí vem.

Uma nota sobre o olhar. Para o João Paulo Cotrim.

Quando se produz uma alteração radical no modo de ver as coisas e no modo das coisas aparecerem, pode haver um abalo na normalidade habitável. Desde sempre na antiguidade que esta estranheza no modo de as coisas aparecerem foi traduzida na linguagem do espanto e da admiração, da reverência, até.

Raccord I

O que quer dizer que o meu olhar se perde nele como se perde no céu azul, deixando-me sem distância para a proximidade e o que está à mão

Sobre o pecado

Peter Sloterdijk descreve o discurso apostólico uma telecomunicação. E é telepática. “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim.” Tal como Paulo, Agostinho é constituído mensageiro de um conteúdo que não é humano. É embaixador de um reino que não está disponível