Droga | Detidos por traficar ice no valor 45 mil patacas em powerbanks

Dois residentes de Macau foram detidos nas Portas do Cerco ao tentar entrar no território com vários pacotes de ice escondidos em powerbanks modificados. No total, foram apreendidas mais de 14 gramas do estupefaciente, avaliadas em cerca de 45 mil patacas. Os suspeitos alegaram que a droga era apenas para consumo

Há uma primeira vez para tudo. A Polícia Judiciária (PJ) deteve na segunda-feira dois residentes de Macau por suspeitas de tráfico e consumo de estupefacientes, quando estes tentavam entrar no território na posse de várias doses de ice, escondidas em powerbanks modificados.

De acordo com informações reveladas ontem em conferência de imprensa, para fazer a droga entrar em Macau, os dois homens recorriam a powerbanks, que alteravam manualmente, com o objectivo de arranjar espaço para acondicionar a substância ilícita. Mais especificamente, depois de aberto o equipamento, era retirada uma das três baterias do seu interior, que era substituída depois por pacotes de ice, deixando, ainda assim, o aparelho perfeitamente funcional.

Afirmando ser “a primeira vez que foi descoberto um crime de droga com recurso à utilização de powerbanks”, o porta-voz da PJ revelou que o caso veio a lume após as autoridades terem recebido informação relativa a dois homens que estariam a vender droga nas redondezas do posto fronteiriço das Portas do Cerco.

Identificados os suspeitos, a PJ deu início a uma operação na passada segunda-feira junto à fronteira. Por volta das 15h00, os dois suspeitos foram avistados a entrar em Macau, aparentando estar “muito nervosos” e “a olhar para todo o lado”. Pouco depois, os agentes destacados para operação interceptaram-nos e revistaram-nos. Na posse de um deles, motorista de profissão, foram encontrados três pacotes de ice acomodados dentro de um powerbank, com o peso total de 5,56 gramas.

Já na posse do outro suspeito, taxista de profissão, não foi encontrada qualquer substância ilícita. Contudo, no decurso da revista efectuada à casa do suspeito, foram apreendidos mais 8,7 gramas de ice, mais powerbanks modificados e vários instrumentos utilizados para consumir droga.

Compras no Interior

Durante o interrogatório, os dois suspeitos admitiram ser consumidores de droga, mas negaram, contudo, estar envolvidos em esquemas de tráfico. Às autoridades, o motorista revelou ainda que a droga que trazia consigo (5,56 gramas) tinha sido adquirida no Interior da China por 2.500 renminbis. Por seu turno, o taxista recusou-se a colaborar com a polícia.

Contas feitas, no total, foram apreendidos 14,26 gramas de ice, avaliados em 45 mil patacas. De acordo com as informações da PJ, os dois homens começaram a vender droga há cerca de um mês, estando ainda uma investigação em curso para descortinar a origem da droga e se há mais pessoas envolvidas.

O caso seguiu ontem para o Ministério Público (MP), onde os suspeitos vão responder pela prática dos crimes de tráfico e consumo ilícito de estupefacientes e de substâncias psicotrópicas. A provar-se a acusação, os suspeitos podem vir a ser punidos com pena de prisão de 5 a 15 anos, pelo primeiro crime e com pena de prisão de 3 meses a 1 ano pelo segundo crime.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários