Literatura | André Carrilho publica primeiro livro para a infância

Chama-se “A menina com os olhos ocupados” e é o primeiro livro virado para os mais novos em que André Carrilho assume, pela primeira vez, o papel de ilustrador e autor de uma obra. Lançado em Portugal pela mão da editora Bertrand, o livro pretende chamar a atenção para o tempo que as crianças gastam com gadgets, mas é também uma forma de o autor conversar com os próprios filhos

 

Uma menina passa os dias inteiros com os olhos colados a um ecrã e não se apercebe do mundo que a rodeia. Até que, um dia, o telemóvel que utiliza diariamente desaparece. É esta a história do novo livro de André Carrilho, ilustrador que agora se aventura como autor, e se intitula “A menina com os olhos ocupados”. A apresentação foi feito em Portugal pela editora Bertrand.

Ao HM, André Carrilho, ex-residente em Macau, contou que esta é também uma obra onde aproveita para conversar com os filhos. “Comecei a escrever este livro depois de ter sido pai”, apontou.

“Comecei a deitar a minha filha à noite e o ritual para ir dormir incluía ler uma história. À força de ler tantas histórias comecei a perceber que os livros são ideais para falar com as crianças sobre alguns assuntos e para criar comunicação com elas, e havia alguns assuntos que eu queria falar com os meus filhos sobre os quais não encontrei livros. Um deles era sobre o mundo da tecnologia e dos gadgets, então escrevi este livro para ter uma ferramenta que me permitisse falar com os meus filhos sobre isso.”

Carrilho, que sempre usou a ilustração como o foco principal do seu trabalho, assume agora que as imagens que desenhou são complementares à história, incorporando outros elementos que as palavras não traduzem.

Além da comunicação com os filhos, André Carrilho recorre a “A menina dos olhos ocupados” para chamar a atenção para a problemática relação entre as crianças e a tecnologia.

“O meu livro chama a atenção para isso, mas não faço juízos de valor em relação aos pais que põem os filhos a olhar para os telemóveis. É difícil ser pai e o telemóvel é uma grande ajuda. O que acho é que pais e filhos devem ter consciência de como fazer e impor limites. Este livro é no fundo o começo de uma conversa sobre esses limites e de como podemos encarar o mundo de várias maneiras.”

Mais autor

André Carrilho, cujos cartoons sobre a actualidade noticiosa são publicados com regularidade em publicações como a Vanity Fair ou o Diário de Notícias, assume querer “ser mais autor”. “Quero repetir esta experiência [de lançar um livro infantil] e tenho várias ideias. Já fiz livros para outras pessoas, ilustrei esses livros, mas agora gostava mais de me focar a escrever esses textos.”

Até agora o autor assume que tem recebido “boas reacções, que estão a dar-me bastante ânimo”. Apesar de o lançamento de “A menina com os olhos ocupados” ter ocorrido em tempos de pandemia, a verdade é que a altura não podia ser a mais ideal.

“O livro estava pronto para ser lançado logo que Portugal entrou em confinamento e tivemos de mudar os nossos planos, mas depois falando com a editora chegámos à conclusão que as pessoas precisavam mais do livro do que nunca, porque as crianças estavam em casa e era preciso dar o contraponto, ao invés de estar sempre a olhar para a televisão dar um livro para eles lerem”, rematou André Carrilho.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários