Hainan | Novo porta-aviões chinês entra em funções

Antes da chegada a Macau, o Presidente chinês teve ainda tempo de presidir à cerimónia que assinala formalmente a entrada em funcionamento do primeiro porta-aviões chinês totalmente construído no país

 

O Presidente chinês, Xi Jinping, presidiu ontem à entrada em funcionamento do primeiro porta-aviões de construção nacional, afirmando a ascensão do país como potência naval num contexto de tensões no Mar do Sul da China.

O Shandong é o segundo porta-aviões chinês a entrar em serviço depois do Liaoning, que foi originalmente comprado como um casco da Ucrânia e totalmente renovado pela tecnologia chinesa. As cerimónias na base naval de Sanya, no sul de Hainan, contaram com 5.000 representantes das forças navais e das empresas de construção do porta-aviões.

Esta manifestação de poderio militar chinês decorreu horas antes de Xi Jinping chegar a Macau para a tomada de posse do novo governo da Região Administrativa Especial e para celebrações dos 20 anos da entrega, por Portugal, da administração do território a Pequim.

A base na ilha do sul da província de Hainan é a principal estrutura militar chinesa no Mar do Sul da China, onde Pequim está envolvido numa disputa cada vez mais tensa sobre o território e os recursos submarinos de petróleo e gás.

Pronto a navegar

Os países da região, que contam com o apoio dos EUA, Japão e Austrália também têm fortalecido as suas forças militares em resposta à escalada existente.

A China tem construído ilhas artificiais, equipadas com aeródromos e baterias de mísseis.
Imagens da televisão estatal chinesa mostraram Xi a ser aplaudido ao embarcar no navio para entregar uma bandeira e um certificado, assinar o registo e cumprimentar os marinheiros.

As 50 mil toneladas do Shandong completaram testes de mar no ano passado antes de regressar ao estaleiro no porto de Dalian, no norte do país, onde foi equipado com três dezenas de caças J-15 de fabrico chinês.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários