André Pires: “Conseguir ficar nos 15 primeiros já seria muito bom”

As impressões de André Pires e Pedro Piquet

Sofia Margarida Mota -
19
0
PARTILHAR
André Pires

Qual é o balanço desta prova de qualificação que acabou de terminar?
Correu bem, em primeiro lugar porque consegui chegar ao fim. Estamos com uns problemas nas afinações. Estou a tentar arranjar a melhor maneira de modo a conseguir correr bem, mas está difícil. Não sei o que se passa.

Quais são as dificuldades?
A estrada está com ressaltos e está-me a custar um bocadinho a afinar a suspensão para poder sentir a mota estável. Mas estamos a tratar do problema e certamente que amanhã (hoje) estará resolvido e vamos melhorar.

Amanhã também é o último dia de qualificações nesta prova.
Sim, mas também não me preocupo muito com a qualificação. Vou tentar fazer depois, na prova, um bom arranque e é a corrida que conta. Os treinos estão a servir para tentar dar o máximo de voltas possível. É esse o objectivo e com isso arranjar a afinação certa para a corrida.

Qual é o objectivo para a corrida?
Conseguir ficar entre os 15 primeiros lugares já seria muito bom. Mas os concorrentes são também muito fortes e estão todos a melhorar. Neste segundo treino só baixei um segundo, mas estamos, em equipa, a tentar encontrar o caminho certo e o dia de amanhã vai ditar um bocado a posição e quanto vou conseguir baixar de modo a ver em que lugares me poderei encaixar.

Fez só os últimos dez minutos da qualificação.
Entrei logo no início mas depois tive de sair umas duas ou três vezes porque não me sentia confortável. A mota que estou a usar também tem um motor muito maior do que as outras e isso muda muita coisa, como as situações em saídas de curva e nas rectas. Mas outro factor de vantagem das outras motas é a ciclística que elas têm.

Sofia Margarida Mota

Pedro Piquet “Macau é uma experiência única”

Foi a primeira volta da classificação para a corrida de F3. Quais são as suas primeiras impressões?
Apesar da boa classificação de hoje (ontem), é ainda muito pouco expressiva. Amanhã tenho de melhorar. Como é uma pista de rua da para fazer melhoramentos rápidos e temos de adaptar um pouco a forma de conduzir. Mas foi bom ter ficado em segundo lugar.

Está confiante para que amanhã (hoje) consiga manter este ritmo?
Acho que sim. Hoje foi uma surpresa a velocidade rápida que consegui a usar os pneus mais velhos e com os pneus novos fiquei a uma distância um pouco maior do primeiro lugar mas também só dei uma volta com eles. Acho que se tivesse dado mais teria conseguido um resultado melhor, mas estou bem confiante.

O que é que acha do circuito de Macau?
Macau é uma experiência única. Não é nada do que vemos em qualquer outra pista no mundo. Macau é uma pista muito mais difícil. Hoje em dia em qualquer autódromo podemos sair do circuito e voltar tanto em curvas como em rectas. Aqui não. Aqui é como nos velhos tempos em que os carros não têm área de escape. Aqui há que ter mais cuidado.

É filho de uma referência da Fórmula 1. Sente alguma pressão na sua carreira por causa disso?
Acho que essa situação tinha mais influência quando era mais novo mas depois essa sensação vai diminuindo. Na pista tratamo-nos todos de forma igual. Não podemos ficar a viver na sombra do nosso apelido e isso não seria justo nem saudável para mim. Tenho de fazer as minhas próprias conquistas.

Próximo passo, Fórmula 1?
Ainda estamos a decidir o que vou fazer no ano que vem, mas a F1 ainda tem de esperar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here