PARTILHAR

O golfista indiano teve um domingo irrepreensível no Macau Golf and Country Club e mostrou à concorrência que ninguém lhe ia retirar a segunda vitória no Macau Open de golfe.

O indiano Gaganjeet Bhullar venceu o Macau Open pela segunda vez, ontem, depois de ter liderado a prova do princípio ao fim. No final das contas, o golfista de 29 anos acabou os quatro dias com um total de 271 tacadas, ou seja menos três do que os atletas que ficaram no segundo lugar nomeadamente, Angelo Que, das Filipinas, e Ajeetesh Sandhu, Indonésio.

A vitória esteve longe de ser um passeio para o indiano. No início do segundo dia, Bhullar tinha quatro tacadas de vantagem para os mais directos adversários. Só que no sábado somou 74 tacadas, o que fez com que Sandhu e o taiwanês Hung Chien-Yao, ambos no segundo lugar, ficassem apenas a uma pancada de distância, quando faltava um dia de competição.

Ontem, no último dia do torneio no Macau Golf and Country Club, as coisas até começaram mal ao indiano de 29 anos, que no primeiro buraco do dia fez um bogey, ou seja ficou uma tacada acima do par. No entanto, quando foi preciso recuperar a boa-forma, não teve problemas e em cinco buracos conseguiu ficar sempre uma pancada abaixo do par, com cinco birdies.

“Após o bogey no primeiro buraco do dia fiquei completamente bloqueado. Mas decidi manter-me com o plano que tinha definido e aproveitar eventuais oportunidades que surgissem. E para ser sincero depois do bogey as coisas acabaram por ficar mais simples para mim”, afirmou Gaganjeet Bhullar, no final do torneio, de acordo com o jornal tailandês The Nation.

“Acho que ao longo do torneio tive boas tacadas e consegui fazer os buracos de acordo com os meus planos. Posso dizer que o primeiro buraco de hoje [ontem] foi complicado, mas foi imagem dos quatro dias de competição, que foram muito difíceis. É provavelmente o único torneio em tive de jogar com condições tão ventosas ao longo de todos os dias”, acrescentou.

Sonho do Circuito Europeu

Além da segunda vitória em Macau, depois da conquista em 2012, Bhullar garantiu igualmente a oitava vitória em torneio do Circuito Asiático. Com mais uma taça na mão, admitiu que o objectivo passa por apostar numa participação no Circuito Europeu. Todavia, antes de tentar essa meta, frisou quer terminar a temporada com mais vitórias.

“Ganha-se muita experiência sempre que se lidera um torneio do princípio ao fim, mesmo quando se perde também há lições para tirar. Como jogador quero viver estes momentos e crescer mais. Até ao final do ano ainda vou disputar muitos torneios do Circuito Asiático e quero começar já a preparar a próxima vitória”, indicou Bhullar.

No segundo lugar ficaram Angelo Que e Ajeetesh Sandhu com 274 tacadas, seguidos por Hung Chien-Yao, em quarto. O taiwanês ainda esteve na luta pelo torneio, mas teve um último dia muito negativo, terminando o domingo com 72 tacadas, ou seja uma acima do par.

Finalmente, o tailandês Pavit Tangkamolprasert, vencedor do ano passado, finalizou a competição no 12.º lugar, com 282 tacadas, mais 11 do que Gaganjeet Bhullar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here