Declaração Conjunta | TDM assinala 30 anos com série de reportagens

Foi um período decisivo para a Macau que hoje conhecemos. Perderam-se batalhas, garantiram-se conquistas, chegou-se a um acordo que permitiu desenhar o futuro do território. Em sete reportagens, a TDM conta o que é preciso não esquecer

Os canais portugueses de televisão e rádio da TDM exibem, a partir da próxima segunda-feira, uma série de reportagens sobre as negociações que conduziram à assinatura da Declaração Conjunta sobre o futuro de Macau, a 13 de Abril de 1987.

Num trabalho assinado pelo jornalista Gilberto Lopes vão ser relatados, na primeira pessoa, os momentos mais sensíveis e polémicos do processo negocial. A série de sete reportagens inclui depoimentos de membros da delegação portuguesa que negociaram a Declaração Conjunta, como o embaixador João de Deus Ramos e Carlos Gaspar que, na altura, era assessor político do ex-Presidente da República Portuguesa, Mário Soares.

“Declaração Conjunta 30 anos” conta também com o testemunho de António Vitorino, antigo membro do Governo de Macau e que nos primeiros dois anos da transição integrou o Grupo de Ligação Conjunto, o órgão de consulta dos Governos de Lisboa e Pequim para o período da transição (1987-1999).

O investigador Moisés de Silva Fernandes, com vários livros publicados sobre as relações entre Portugal e a China, é outro dos intervenientes na “Declaração Conjunta 30 anos”.

A antiga presidente da Assembleia Legislativa, Anabela Ritchie, e o ex-deputado e actual presidente da Associação dos Advogados de Macau, Jorge Neto Valente, descreveram à TDM como viveram, em Pequim, aquele dia histórico.

Duas regiões que foram quase uma

“Declaração Conjunta 30 anos” é emitida a partir de 10 de Abril. Na Rádio Macau, a série de programas passa às 8h30 e às 17h30, de segunda a sexta-feira; ao sábado e domingo, às 12h e às 16h30. No Canal Macau, o trabalho será exibido de segunda a domingo depois do Telejornal das 20h30.

No dia 10 é transmitida a primeira reportagem “Tudo começou em Paris”, onde se relata que foi com o reatamento das relações diplomáticas, em 1979, que a questão de Macau começou a ficar definida.

Na terça-feira e na quarta-feira, serão exibidas reportagens sobre a “Data” e a “Nacionalidade”, as duas questões que mais dividiram os negociadores portugueses e chineses.

Na quinta-feira, será a vez de “Uma Só Região Administrativa Especial”, onde se fala da ideia inicial da China em criar uma Região Administrativa Especial que juntasse Hong Kong e Macau e do projecto em ter uma transferência de administração simultânea para Macau e Hong Kong, em 1997.

Na sexta-feira, os negociadores Carlos Gaspar, João Deus Ramos e também António Vitorino falam da experiência que tiveram nas conversações com os negociadores chineses.

No sábado, o grande destaque vai para como Macau viveu as negociações. Em “Macau não foi consultado”, Jorge Neto Valente e Anabela Ritchie dão conta de que os residentes portugueses e chineses de Macau não foram ouvidos em todo o processo e que o Governo português não convidou os portugueses de Macau para a cerimónia em Pequim.

No domingo, realce para um depoimento gravado, em exclusivo para a TDM e Agência Lusa, do antigo primeiro-ministro, Cavaco Silva, que assinou com o líder chinês, Zhao Ziyang, a Declaração Conjunta, a 13 de Abril de 1987, no Palácio do Povo, em Pequim. António Vitorino e Carlos Gaspar falam dos grandes objectivos definidos para o período de transição, e Anabela Ritchie e Jorge Neto Valente dos vários diplomas aprovados e os que ficaram por aprovar na Assembleia Legislativa durante o período de transição.

“Declaração Conjunta 30 anos” terá uma exibição, em compacto, segunda-feira, 17 de Abril, a partir das 10h30, na Rádio Macau. A TDM explica que o trabalho tem locução do jornalista Rui Cid, grafismo e mistura final de Pedro Lemos, imagens de Bernardo Vieira, Chang Iong Long, Fernando Poon, Arquivo TDM e Arquivo RTP, e a colaboração de José Costa Santos e Pedro Benjamim.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários