PARTILHAR

Aoficina marítima, também conhecida por Doca de A-Má, perto do Templo de A-Má e datada de 1890, será parcialmente aberta ao público ainda este ano. A confirmação é do Instituto Cultural (IC) que, num comunicado à imprensa, indica que o edifício que vai abrir foi “originalmente uma oficina de máquinas” onde decorriam as construções e reparações de barcos.
“O IC está a proceder ao restauro e posicionará [a oficina] como um ‘Centro de Arte Contemporânea’, no sentido de exibir as obras de artes visuais de todo o mundo e, ao mesmo tempo, aproveitando o espaço relativo para o uso adequado como teatro experimental e local de educação para artes visuais”, indicou o organismo, numa nota à imprensa.
Num encontro com jornalistas, no passado sábado, o IC explicou ainda que a medida de proibir a queima de papéis no dia de Abertura da Tesouraria de Kun Iam foi muito bem aceite pela população e não prejudicou, como alertaram alguns comerciantes, o volume de negócios.
“Os crentes ficaram satisfeitos com as medidas, a venda de incenso das lojas não foi muito afectada e os residentes referiram que neste ano houve uma melhoria na qualidade do ar durante a Abertura da Tesouraria de Kun Iam”, esclareceu.
Relativamente ao estragos provocados pelo incêndio no Templo de A-Má e de obras na Casa de Lou Kau o IC indicou que, depois de entregar o relatório sobre os danos dos dois patrimónios à Administração Estatal do Património Cultural, irá oferecer o plano de recuperação, sendo que as obras são, como anteriormente definido, da responsabilidade da Associação que gere o Templo de A-Má.
Por fim, o IC indicou ainda que irá discutir com o Conselho do Património Cultural as informações até agora recolhidas sobre o antigo Hotel Estoril. A manutenção do painel vai ser assunto para discussão do Conselho do Património Cultural na terça-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here