PARTILHAR

José Chui Sai Peng, deputado de Macau à Assembleia Popular Nacional (APN), sugeriu em Pequim que o Governo Central coloque Macau com uma função mediadora face aos países de Língua Portuguesa. O também deputado do hemiciclo considera que o território deveria prestar serviços de “centro de mediação e arbitragem comercial” entre a China e esses países.
Citado pelo jornal do Cidadão, Chui Sai Peng disse que “Macau é um porto franco que serve como porta ao comércio da China, estando a criar infra-estruturas como o Centro de Serviços Comerciais para as Pequenas e Médias Empresas dos Países de Língua Portuguesa, o Centro de Distribuição dos Produtos Alimentares dos Países de Língua Portuguesa e o Centro de Convenções e Exposições para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, algo que testemunha o papel de plataforma”. Por isso mesmo, indica, Macau pode e deve oferecer o serviço de arbitragem, especialmente porque as questões judiciais “vão cada vez aumentar e cada vez ser mais rigorosas”.
“Acho que precisamos de um serviço judicial para responder aos problemas que podem advir da cooperação económica e do investimento bilateral no futuro. Além disso, a lei existente em Macau é baseada no Código Civil de Portugal, que tem uma ligação às leis dos países lusófonos como o Brasil e Angola. Macau pode, por isso, ocupar um papel de mediador quando a China tem problemas com os países de língua portuguesa.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here