SRO espera renovar parceria com a AAMC

A primeira edição da Taça do Mundo FIA de GT foi a grande novidade do programa de corridas da 62ª edição do Grande Prémio de Macau. A segunda edição desta competição ainda não foi oficialmente confirmada pela Federação Internacional do Automóvel (FIA), mas tudo indica que será novamente disputada no Circuito da Guia. E se assim acontecer, a SRO Motorsports Group, a empresa que assessorou a Associação Geral Automóvel de Macau-China (AAMC) nesta corrida em particular, espera renovar a parceria para a edição do próximo mês de Novembro.
A empresa promotora de eventos automobilísticos francesa que organiza os campeonatos de carros de GT com maior sucesso a nível mundial, onde se destacam as séries Blancpain ou o recém-criado Intercontinental GT Challenge, foi também responsável pelo defunto Campeonato do Mundo FIA GT1 até 2012 e na Ásia conseguiu os direitos para organizar as 12 horas de Sepang, na Malásia. Stéphane Ratel, o fundador e CEO da SRO Motorsports Group, diz que a primeira edição que contou com a participação dos portugueses André Couto e Álvaro Parente foi um sucesso. carros zhuhai
“Não há como negar que a Taça do Mundo FIA de 2015 em Macau teve uma boa qualidade de pilotos e carros e nós estamos encantados por coordenar e ter trabalhado em conjunto com o AAMC neste evento inaugural que teve o sucesso merecido”, disse o ex-piloto, agora empresário, citado pelo portal português SportMotores.com.
A empresa francesa espera este ano continuar a cooperar com as entidades do território na ainda também designada Taça GT Macau. Mas nem o facto do Grande Prémio de Macau voltar a coincidir em datas com a última prova do Campeonato do Mundo FIA de Endurance (WEC) – o que foi apontado na imprensa especializada como uma das razões para algum absentismo na prova do ano transacto – impede o optimismo gaulês.
“Macau é um lugar fantástico e o evento tem um grande potencial. Esperamos que em 2016 a SRO volte a assistir a AAMC e a FIA na organização da Taça do Mundo FIA de GT”.

Bom investimento

Na primeira edição da corrida, apenas a Audi, a Mercedes-Benz, a Mclaren e a Porsche aceitaram pagar 30 mil euros à FIA para se inscreverem oficialmente na prova, um valor que outros construtores se terão recusado a desembolsar. A prova ficou aquém dos sete construtores que a FIA ambicionava para a edição inaugural. Contudo, os construtores que participaram não se terão arrependido.
A Porsche foi a primeira marca a confirmar a presença na prova de 2016, porque esta corrida “está cada vez mais e mais importante como corrida, portanto cada vez a levamos mais e mais a sério”, disse Frank-Steffen Walliser aos jornalistas, à margem da “Noite dos Campeões” que a marca germânica organiza anualmente em Dezembro.
A Porsche irá fazer-se representar pela equipa oficial Manthey Racing e três novos Porsche 911 GT3-R (Tipo 991). A Audi e a Mercedes-Benz, com interesses comerciais fortíssimos neste ponto do globo e com uma tradição enorme no automobilismo, deverão igualmente voltar com as suas equipas oficiais. A Bentley, a Mclaren, a Lamborghini, a BMW e a Nissan são outros construtores que poderão eventualmente optar por uma participação mais a sério na prova de Novembro de 2016.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários