PARTILHAR

A assistência técnica para a primeira fase de “Programas de Emergência do Parque de Materiais e Oficinas do Metro Ligeiro” vai custar aos cofres do Governo um total de 54 milhões de patacas. Os serviços ficam a cargo da MTR Corporation Limited, que recebe o valor atribuído em duas fases, uma primeira este ano de quase dez milhões de patacas e a segunda em 2016 de 44,2 milhões. A autorização à celebração do contrato foi publicada ontem em Boletim Oficial, onde fica ainda a saber-se que a fiscalização da empreitada de construção da 1.ª Fase do Centro Modal de Transportes da Estrada Governador Albano de Oliveira da Taipa, a cargo da PAL Ásia Consultores, vai custar cerca de quatro milhões de patacas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here