Caso Dore | Empresa fecha sala VIP. Vítimas dizem-se preocupadas  

Uma das salas VIP da empresa de junkets Dore – do casino Wynn – já fechou portas, mas a empresa afirmou que deverá manter-se activa até que todos os problemas financeiras dos investidores estejam solucionados. Segundo uma mensagem do grupo Forefront of the Macau Gaming, enviada aos média, a empresa ponderou encerrar as suas duas salas VIP que tem no Wynn, mas acabou por fechar apenas uma no final do mês passado. A decisão tem em conta o alegado desvio de mais de mil milhões de dólares de Hong Kong por uma contabilista e o facto dos investidores ainda não terem conseguido reaver o seu dinheiro. A Dore deve manter-se assim em funcionamento até resolver os problemas. 
Contactado pelo HM, Wong Wai Man, presidente da Associação dos Armadores de Ferro e Aço, que ajudou os lesados, afirmou que “ainda não têm comentários a fazer, pelo que vão avaliar os acontecimento para decidir o que fazer”. Apesar de tudo, Wong confessou não estar confiante com o retorno do dinheiro aos investidores da empresa.
Recorde-se que a Polícia Judiciária (PJ) afirmou já ter recebido 49 queixas sobre o caso, estando ainda a investigar pelos ângulos de burla, de abuso de confiança e emissão de cheque sem provisão. A PJ vai pedir ajuda extra à Organização Internacional da Polícia Criminal, caso esta se revele necessária.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários