PARTILHAR
David Valente

O Produto Interno Bruto (PIB) de Macau registou um decréscimo real de 26,4‰ em termos anuais no segundo trimestre, de acordo com a estimativa revelada ontem em comunicado pela Direcção dos Serviços de Estatísticas e Censos (DSEC), sendo superior ao do primeiro trimestre, momento em que se registou uma queda de 24,5%.
No documento, a DSEC explica que a contracção económica deve-se, principalmente, “à queda das exportações dos serviços”, destacando-se o Jogo, com uma queda anual de 40,5%, e a exportação de outros serviços, com 21,5% de queda.
Ainda assim, o investimento, a despesa de consumo privado e a despesa de consumo final do Governo subiram 3,2%, 2,0% e 5,7%, respectivamente, sendo que este aumento provocou “a diminuição do impacto causado pela retracção económica”.

Outras subidas

As exportações de bens também aumentaram, ultrapassando os 25%, assim como o consumo privado que apresentou uma ligeira subida. “Embora a taxa de desemprego tenha sido de 1,8%, subiu tenuemente 0,1%, o mercado de emprego e o rendimento gerado pelo emprego ainda permanecem estáveis, impulsionando a despesa de consumo privado a crescer 2%, em termos anuais”, indica.
Também as despesas de consumo final das famílias, tanto no mercado local como estrangeiro, cresceram 1,3% e 7,2%, respectivamente. O mesmo se verificou com a despesa do Governo que apresentou um aumento de 5,7%.
Na mundo privado, o investimento por este sector subiu 1,6%, sendo que a formação bruta de capital fixo expandiu-se 3,2%. “Realça-se que o investimento em construção subiu 3,1% pois estavam em curso várias instalações de turismo e entretenimento de grande envergadura”, pode ler-se. Por outro lado, o investimento em equipamentos do sector privado reduziu em 8,3%, destacando-se ainda, o investimento na construção, 45,2%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here