Anabela Canas

66 ARTIGOS 0 COMENTÁRIOS
[email protected]

Outras margens

O que me faz falta às vezes é o nada fazer. Aqueles dias em que a actividade parece um atributo acessório da existência, que em nada tem a ver com uma qualquer natureza ontológica.

Mais infinito, menos infinito

Há dias em que tudo me é estranho. Para ser rigorosa, todos. Tudo me é exterior, incompatível. Como nos transplantes de órgãos. A compatibilidade do D.N.A. chega aí.

Branco-cinza. Cor de rosa

Há uma cidade submersa por detrás de cada frase. De cada pessoa. De cada paisagem estranha de sonho.

Sentido único

Nada a reler. Como se sempre uma leitura nova. Quanto muito na música, eternizar na repetição obsessiva uma mesma emoção a distender-se sem querer o abandono.

Ora descrente

Como se acreditasse, só porque não faz mal. A inventar uma força para o feitiço. Descrente mas empenhada. À procura de algo que dizer por dentro. Ora. Talvez.

O coro e o ponto – Aqueles dias normais

Aqueles dias. Sim, aqueles que todos temos. Talvez. A cabeça a explodir de incompreensão e erro. Ou será o coração. Talvez.

O estranho lugar das palavras

Há dias em que de súbito acordo num momento qualquer do dia como se pela primeira vez. De novo, mas com uma sensação de estranheza desmesurada, e como se desentranhada à força e antes da hora, a um sono tumultuoso e insuficiente. Arrancada do lugar.

Dias de Oceania

Porque se arruma pelo som, no lugar da melancolia. No lugar escancarado - aqueles dias repentinos - como uma janela. Varrido de uma ventania.

Das paisagens vagas como vagas são

Imaginar que me detenho simplesmente num intervalo do tempo a olhar um destes objectos. Sempre os objectos-cenário. E um ser encenador.

Objecto de si

Uma pessoa viaja. Viaja-se ao fim do mundo e de si dia após dia. Um desfiar de ritmos registados no relógio meticulosamente e sem...

Objecto discreto

Há dias que são o diabo. Esse cão. Um fim de tarde quase quente a disfarçar a perspectiva de declínio desse Outono de um...

Nem pena nem paixão

Quando penso que há tanto lugar no mundo. Que ainda não se estragou tudo. Mas que estamos no bom caminho para isso, enrubescidos de vergonha mas irrascíveis de vontade e intensão egocêntrica. Apetece-me mais que muito mergulhar na micro planície calma.

Variável dominante

O que se é e não o que se faz, se diz. Essa realidade equívoca. Da obra e da representação. De si. Da imitação, de uma camada de sentido, sentida, eventualmente, mas uma segunda instância.

Piano forte. Piano piano

Hoje é o ir pela escrita adentro, o único lugar. Como mergulhar lentamente, escolher a temperatura e sentir o rumorejar manso e eterno enquanto...

Pequeno mundo

Dos bons e dos maus. Passe o maniqueísmo. E os maus somos nós, mas podiam ser as libelinhas. Lindas, pequeninas e esvoaçantes. As abelhinhas,...

Em lugar de ser

Parecer. Não. Nunca, em lugar de ser, parecer. Dizia , lugar. Em lugar de ser, lugar. Em lugar de ser lugar. Passe a repetição...

Uma demão de rosa, um toque de perfume

Hoje choveu, finalmente. Seria chuva ácida? Como ácidos pensamentos que nos assaltam por vezes, mesmo ante as coisas belas. Ponha rosas, e ponha flores.

E porque os dias

E porque uns dias, isto. E porque outros dias, aquilo. E de aquilo, na imprecisão rústica do que se traça como se fosse caminho...

E depois o céu abre-se e caem os anjos

São fases. Como as da lua. Que fazer quando chega esta estação que nos deixa de algum modo indecisos entre o sentido de queda,...

Grande muralha, pequeno papel

Nos confins do meio. Este meu costume de revirar as pequenas coisas que me ficaram impressas a bold na memória. Sempre à procura da razão de ser assim. Mas sei.

Caverna de Kafka. Castelo de Platão

Há sempre aquela vista do castelo. De baixo para cima. O meu olhar esperançoso de que desta vez seja por uns tempos e que...

Do real absoluto. Do absoluto ideal

Estas coisas dizem-se depois, se houver. A realidade daquela escarpa abissal à beira da cama. À beira do rio de mansidão à beira do...

De Saturno a Marte

Um instante-luz, ínfimo. O logo ali, na curva imensa do espaço. Do tempo até nós é a guerra. Todas as guerras em que o...

Sonho com efeito

Ser criatura e não saber de quê de quem. De que sonho. De que modelo, de que criação, de que mito ou de que...