PARTILHAR

Aimportância da “diversificação de culturas dos jovens”, a “especialização numa área concreta” e a capacidade de introduzir “a modernidade” foram alguns dos conselhos deixados por especialistas na área da Moda. No seminário “Fashion Talk”, que decorreu no sábado no Museu de Arte de Macau, Xander Zou, designer no interior da China, Trunk Xu e Nic Lei partilharam experiências com Macau.
Xander Zou foi o primeiro chinês a entrar no programa oficial da semana de Moda masculina de Londres. Trunk Xu é fotógrafo e Nic Lei, mestre de maquilhagem colaborador com a Semana Internacional de Moda realizadas em Macau, Pequim e Xangai.
Os três falaram perante uma plateia de criadores de marcas e designers e partilharam experiências, nomeadamente sobre o funcionamento das marcas de produtos e a cooperação comercial entre sectores. Ferramentas que podem ajudar a levar o nome destes novos empresários mais longe, dizem.
Xander Zhou disse que a “diversificação de culturas dos jovens é o foco da nossa era e que a Moda já vai muito mais além do diálogo espacial entre o palco de desfile e os espectadores”. Já Nic Lei sugeriu que, no processo de criação de uma marca de Moda, os designers de Macau sejam “especialistas numa técnica em especial, para além de estudar os outros conhecimentos profissionais da indústria, procurando ser especialistas e sabendo introduzir o elemento de modernidade”.
Na perspectiva de Trunk Xu, “a indústria da Moda exige constantemente forte elemento de modernidade, podendo o visual do empacotamento valorizar uma marca singular”. 
O Fundo das Indústrias Culturais (FIC), uma das entidades organizadoras, pretende com estes colóquios o desenvolvimento das actividades de design de Moda e vestuário e da criação da própria marca. Os profissionais presentes, todos experientes, ajudaram os mais novos, partilhando histórias, experiências e “cedendo importantes ferramentas, para que o desenvolvimento deste sector, um ramo importante das indústrias culturais, chegue a bom porto, difundindo a imagem de Macau além fronteiras e dando estímulo ao desenvolvimento de marcas Made in Macau”, indica o Governo .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here