José Simões Morais

98 ARTIGOS 0 COMENTÁRIOS

Os primeiros passos

Camilo Pessanha veio para Macau "na sequência do seu desencontro amoroso com Ana de Castro Osório", como refere num dos iniciais estudos Daniel Pires....

O hóspede do Hing Kee

Percorridas pelo centro da cidade as estreitas ruas cimentadas, desde a Visconde de Paço d' Arcos, no Porto Interior, até à Praia Grande, podia...

Primeiro olhar de Pessanha sobre Macau

No riquexó, puxado por um cule que agarrava os varais para levantar a cadeira pelo eixo das rodas, Camilo Pessanha prepara-se agora para partir...

Camilo Pessanha desembarca em Macau

O calendário marcava 10 de Abril de 1894 quando, por volta das cinco da tarde, encostava ao cais do Porto Interior o vapor Heungshan vindo de Hong Kong.

A viagem de Camilo Pessanha até Macau

Camilo de Almeida Pessanha, em Coimbra onde nascera, formou-se em Direito em 1892 e após um breve período de advocacia em Óbidos, seguiu para Macau nomeado, por Boletim Oficial de 10 de Fevereiro de 1894, professor do Liceu dessa cidade no Extremo Oriente.

O Seminário-Liceu de Macau

A instituição de ensino secundário Liceu foi criada em Portugal no reinado de D. Maria II pelo então ministro Passos Manuel, em Novembro de 1836.

A ideia de construir uma larga avenida

A actividade dos chineses desenrola-se no Bazar, que enquadrava o Convento de São Domingos e integrava as ruas dos Mercadores, dos Ervanários, das Estalagens e da Palha, segundo refere Pedro Dias.

Riquexós, meio de transporte de Macau

Os jinrichshas surgiram em Macau na primeira metade do ano de 1883 (informação proveniente do jornal O Macaense de 12 de Julho) e dez anos mais tarde, em 1893 o assunto dos Jinrickshas estava na ordem do dia

Convento e Igreja de Santo Agostinho

Já em 1591 foi o convento transferido para o actual local, na Colina de Sto. Agostinho, sendo ao lado construída a igreja.

Os diamantes da Condessa

Deixamos o final da história da Madame Paiva para, envolvendo o período de tempo da vida de Pedro Alexandrino da Cunha, rematar os acontecimentos ocorridos no século XIX na Europa

Pedro Alexandrino da Cunha | Governador de Macau por 37 dias

Pedro Alexandrino da Cunha nasceu a 31 de Outubro de 1801 na freguesia de Santos-o-Velho, Lisboa e com um percurso promissor de estudante feito no Colégio da Luz, após terminar o curso em 1819, logo iniciou a carreira militar

O Governador de Angola Pedro Alexandrino da Cunha

Nomeado a 31 de Maio de 1845 Governador-Geral da Província de Angola, Pedro Alexandrino da Cunha tentando "harmonizar as leis da metrópole com a prática colonial

O trabalho de Pedro Alexandrino em Angola

Pedro Alexandrino da Cunha, comandando a Corveta D. Isabel Maria saiu de Lisboa a 9 de Dezembro de 1836 e após se dirigir para as Ilhas de Cabo Verde, dali seguiu viagem para Pernambuco

Pedro Alexandrino da Cunha na Ilha Terceira

Em Julho de 1832 foi Pedro Alexandrino da Cunha "mandado servir a bordo do Brigue Conde de Vila Flor, donde em 4 de Setembro desembarcou para tomar o comando interino da Corveta Vila da Praia, fundeada no Rio Douro

Pedro Alexandrino da Cunha preso pelos miguelistas

D. Miguel, segundo filho de D. João VI, logo a 13 de Março de 1828 dissolveu a Câmara dos Deputados e a 3 de Maio convocou os três Estados, declarando nulo o juramento da Carta Constitucional.

O liberal Pedro Alexandrino da Cunha e a sua época

Pedro Alexandrino da Cunha sucedeu como Governador de Macau ao Conselheiro e Capitão-de-Mar-e-Guerra João Maria Ferreira do Amaral, após este seu amigo ter sido assassinado a 22 de Agosto de 1849, por sete chineses junto à povoação de Mong Há.

A meretriz Blanche Lachmann

Muitas são as versões fantasiosas e contraditórias da história de Madame Paiva, a mais bem sucedida cortesã parisiense do século XIX, que encheram as páginas dos jornais parisienses, "menos atarefada nos assuntos grávidos da política, da indústria e da sã moral", segundo Camilo Castelo Branco.

Por coincidência, falso marquês

Qual teria sido a finalidade de Madame Blanche Lachmann se casar com Albino Paiva? Num anterior artigo referimos as famílias ligadas à nossa personagem principal, mas faltou falar da descendência proveniente do casamento de Francisco José de Paiva com Inácia Vicência Marques.

O final da boémia vida de Albino Paiva

Em artigo anterior, deixamos a história de Albino Francisco de Paiva de Araújo após o regresso da viagem a Portugal que fizera com a sua esposa, a Thérèse Blanche Lachmann, aliás Madame Paiva.

Marquês por coincidência de apelido

Ao escrever sobre um macaense, logo os seus apelidos mostram uma teia de casamentos que nos obriga, para dar um enredo coerente, a desmultiplicar as pesquisas por uma série de gerações e famílias.

O macaense Albino de Paiva de Araújo na Europa

Temos vindo a escrever sobre a história deste boémio e no último artigo tratamos já sobre uma das principais protagonistas, Blanche Lachmann, a tal Madame Paiva que em segundas núpcias casara com Albino de Paiva de Araújo, para em Paris conseguir um nome e uma dignidade equivalente à sua opulência.

Blanche Lachmann, a tal Madame Paiva

Dizem que era dotada duma bela figura, pescoço grego, cabelo espesso castanho-aloirado e olhos soberbos.

Boémio macaense suicida-se em Paris

Ligada primeiro a Herz, pianista célebre, sob a falsa estampilha de esposa, chegou a sentar-se entre as duquesas nos saraus de Luís Filipe. Depois, desvelado o segredo da sua concubinagem, foi expulsa afrontosamente dos círculos também falsamente carimbados de honestidade, e fugiu para Londres, deixando ou levando o pianista.

Onde pára a estátua de São Tiago?

Aproveitamos um dia solarengo para numa caminhada nos inteirarmos das mudanças registadas na cidade.