Amélia Vieira

116 ARTIGOS 0 COMENTÁRIOS
info@hojemacau.com.mo

Cerejas

Vazamos cestas delas em cada alvorada de poema, e, é tanta a metáfora, o conceito, a curva, a cor... depois, o conjunto fica inexplicavelmente e sem dúvida sempre mais bonito.

A casa dos vinte e quatro

A projecção do santo padroeiro passou para o clube, fundaram-se outros juízes, temos novos deuses, e como diria alguém na busca patética de transcendência: "Ronaldo já não é humano"

O colosso de Rodes

Lá para o Mar Egeu ergueu-se algures um monumento tão descomunal que parecia a metáfora mais conseguida da megalomania humana - isso mesmo - um colosso de 33 metros de comprimento

Cantos de Maldoror

Entramos agora no ciclo anunciado do «Filho do Homem». Vêm aí os concebidos à nossa imagem e semelhança e não apenas meros utensílios ao serviço do deus que nos autoproclamámos ser

Epístolas

No tempo em que escrevíamos cartas o próprio tempo não tinha a mesma velocidade nem urgência do dizer, dado que muitas funções do aparelho social se mantinham estanques e o espaço onírico de cada emissor se propagava pelo grafismo, que era a renda de um instante ali plasmado e que funcionava também como contemplação para o seu receptor

O ar do tempo

Conhecemo-lo por Feiticeiro no célebre filme americano de 1939; no entanto, a sua autoria é de L. Frank Baum e data de 1900 em romance, mas o certo é que ninguém mais ficou de fora no seu encantamento

Do Silêncio

Fez-se silêncio nestes tempos, um silêncio sem vitória, todo repleto de ruído surdo, de zombeteiras acústicas de formatos diversificados com caudais sonoros interditos ao canto

Nietzsche

Fui para Lille. Lá, ao que parece, existe a melhor Faculdade de Filosofia do país, no rasto da estudante que só lhe interessava, afinal, saber dele: está muito bem, por mim nem uma vida chega para tão grande empreendimento

Judith Teixeira

Nasceu em 1880, curiosamente no mesmo dia de Virgínia Woolf, 25 de Janeiro, em Viseu. A sua obra é um imenso desfolhar de beleza, erotismo e de uma magistral forma de conceber a língua na construção dessa coisa outra que é a atmosfera onde brilha uma alma. Porém, no seu tempo, tudo lhe fora adverso

Sufrágio Universal

Sabes que sou uma onda de sal, e que importa se és ou se já foste uma estátua de areia? 

Gomes Leal

Fernando Pessoa foi um dos discípulos mais atentos deste precursor do Modernismo Português, e para tanto contribuiu também a prática ocultista

Soares dos Passos

Num primeiro olhar aquelas imagens esbatidas a preto e branco, e diríamos que era Rilke, menos belo, talvez, mas sem o reflexo imediato que separa os seus cinquenta anos de diferença, no mesmo século, que século é das mais emblemáticos gentes

Introito

Começa pelo fim este título qual chamada de atenção para qualquer início que se deseje entendível, na medida em que o mote define a primícia do vocábulo gerado para a contemplação de um rito

Juan de La Cruz

Muito me apraz este instante na imagem de Juan de La Cruz como um efeito lendário de sombras, luzes e rectidão

As casas dos poetas são locais estranhos que devemos ter como sentinelas de energias cósmicas, pois dormitam lá os veios que desaguam dos seus lençóis freáticos.

Cérbero

Começa hoje a primeira Lua-Nova de Fevereiro do Ano do Cão. O Oriente engalanado e festivo acolhe assim no seu calendário lunar mais um período de ritos que tem o encanto dos ciclos inaugurais

RENÉ CHAR

Olhamos o mundo de modo estranho quando ao redor não vemos os Homens - ao redor - gravitam agora os assimilados de uma antiga espécie desaparecida

AL- ANDALUZ

A saudade é um sentimento requintado, devemo-lo muito a judeus e árabes, os povos que mais civilização transportam e que prendem de memória os espaços ocupados.

Caminhos errados

É este o título de um livro de Aquilino Ribeiro, livro esse de novelas, tendo incluído para teor aquele que aqui nos traz «Menos sete»

Castor e Pólux

Estamos na era dos filhos gémeos, eles nascem de forma talvez pouco espontânea mas a realidade deste fenómeno não pára de crescer

Cronólogo

Estamos a iniciar um novo Ano com a sensação de transpormos uma porta deixando para trás os embates vividos, saldando dívidas, reciclando os cismas, atestando as fórmulas, esperançados que uma qualquer bonança nos acolha e providencie o fluxo no tempo circular

Arcas

David dançava enquanto ela se movia; Pessoa pensava enquanto ela se mudava

Deus Ex-Machina

Findo o Ano, recapitulamo-lo. Ano este que foi ateado pelas penas flamejantes do Galo de Fogo que a todos não só aqueceu como abrasou, carbonizou, fazendo jus à labareda

A Vinda

Neste momento todos os ânimos se ateiam no Médio Oriente devido a um agente incendiário que irracionalmente governa o mundo