O carro, o espaço – Família, infância – Legendas sem Fotografias (1)

Ilustração de Ana Jacinto Nunes
 

Recordações de A
1.
Pai e amigos em Paris, início dos nos 60. Ninguém que não conheça as pessoas, sabe como diferenciar os amigos dos pais. Se têm a mesma idade, a mesma forma de andar, como saber quem é quem? Vocês não sabem. Mas eu sei, o meu dedo sabe: este é o meu pai. Esta é a minha mãe. O meu dedo sabe, o meu corpo sabe.
 
2.
Fátima, primeira viagem grande da A., anos 50, possivelmente 1957. Um carro em 1957 não é um carro como hoje, era uma aparição, uma presença importante. E quando eu era pequena, o carro era uma espécie de país para onde entrava e me deixava ir. Um país que tinha uma janela em que a paisagem mudava constantemente. O carro era um país mais alto do que eu. E tinha motor. Era um país estranho, mas eu estava sempre a adormecer dentro do carro. Não tinha medo.
 
Recordações de E.
 
1.
Eu tinha para aí 4 anos, esses senhores eram alentejanos de Portalegre e eram amigos dos meus pais. A foto foi tirada nos Anjos. Eu ia para lá porque gostava muito daquele quintal. Gostava mais do quintal do que das pessoas no geral. Qualquer uma. Sempre gostei do espaço. Se nos deixam correr é porque são nossos amigos. E o espaço era isso: era o meu amigo.
 
2.
Foi um passeio que nós demos, penso que à volta de Sintra. O meu pai fotografou-nos e a minha mãe está ao centro e eu ajoelhada e dos lados os meus irmãos. Que curioso isto, porque nos ajoelhamos nós? Há tantas razões! Podemos falar de fé ou de pedir perdão, mas às vezes é mais importante do que isso: é para não taparmos ninguém na imagem. É para salvar a imagem de outra pessoa. E isso é estranho para mim: ajoelhar-me para salvar a imagem de outra pessoa. Ou para melhorar a imagem, para a fazer algo mais estético, mais bonitinho. Que estranho, uma pessoa ajoelhar-se por questões estéticas. É estranho, não é?
 
a partir da Natureza Fantasma de Marco Martins e Companhia Maior

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários