Hino de Itália, os avós, as anedotas

Mulheres de Itália (20)

Filippa está no quarto de Esterina a olhar para a bandeira vermelha que ocupa toda a parede.
Filomena está a chorar, mas o pai diz-lhe que chorar não corrige os erros de ortografia, mas estudar sim.
Fiordalisa abre o envelope que tem as análises.
Fiore está a pensar que não tem nada a ver com os problemas de Edvige.
Fiorella fala com os seus velhos do lar como se fossem todos surdos e dementes.
Fiorenza põe o hino de Itália a tocar na vitrola antiga.
Flaminia está rouca por tanto gritar o nome da mãe, mas não é isso que a vai fazer ressuscitar.
Flavia lava os dentes na casa de banho enquanto imagina o que Claudio estará a fazer na outra casa de banho.
Flaviana promete atravessar de joelhos todo o passeio do bairro caso o seu marido se salve.
Flora arrotou, mas o namorado não ouviu.
Floriana escolhe a máscara mais cara da loja e diz que nem na guerra a vão obrigar a vestir mal.
Floridia olha atentamente para o mapa de Paris, mas está completamente perdida.
Florina está tão excitada que não quer parar de pensar na sua mão e na vagina de Degna mas ao mesmo tempo tem vergonha porque no ecrã agora estão a mostrar um homem tão magro e tão maltratado que ela deveria estar a chorar e não estar excitada como está.
Foca está a acabar uma pintura que lhe encomendaram.
Fortunata está há meses na aplicação e só lhe aparecem homens velhos.
Fosca ri às gargalhadas com a anedota da amiga Loretta.
Franca diz que não tem avós e que os velhos devem deixar os mais novos passarem à frente na porta.
Francesca tem sapatos novos mas está com uma dor de barriga tão grande que nem se lembra que tem pés.
Fulvia diz a Franca que a lentidão é uma forma de poluição.
Gabriella gargareja e diz que está outra vez quase a morrer, mas já ninguém liga.
Gaia gosta da blusa branca que Leonia vestiu.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários