Mulheres de Itália – 16

Diana está fascinada pelo colchão do amante e diz-lhe que só trai uma outra mulher porque gosta do colchão dele.
Dianora censura Franca por não ter deixado passar à frente aquele casal de velhos e diz que podiam ser os avós dela.
Diletta continua a ser má e gosta de empurrar as pessoas para o chão mesmo que não seja fisicamente.
Dina foi com o pai, que é três vezes do tamanho dela, ver as fundações de uma casa que estão a construir no sítio onde o pai há muitos anos costumava jogar futebol.
Diodata insiste que Deus existe e Constanza insiste que não – e como não estão de acordo decidem lançar os dados para ver quem tem razão.
Dionisia foi atropelada há uns segundos por um carro que ia a grande velocidade.
Doda está fascinada com um elástico vermelho e puxa-o até aos limites e ri-se muito.
Dolores acaba de foder com um colega do pai.
Domenica tem a miniatura de uma igreja em cima da caixa da pílula que começou a tomar ontem.
Donata tem uma noite de folga e telefona a três homens, mas dois não atendem e o outro diz que está ocupado.
Donatella dá uma palestra sobre o conceito de tirania, mas só consegue pensar no velório da mãe que foi ontem.
Donna diz à sua filha V. que se ela não abandonar o islamismo vai envergonhá-la e sair, ela mesmo, a mãe, para a rua com a saia mais curta que encontrar.
Dora faz um esforço enorme para sozinha mudar a posição da cama porque não quer dormir com mais nenhum homem com a cama no mesmo sítio.
Dorotea está a fazer uma dieta e diz que não quer nem balanças nem espelhos nem o olhar de nenhuma mulher à volta.
Druina enquanto urina sorri para o namorado e diz: estás a ouvir? É bonito, não é?
Dulina esta ajoelhada na igreja, e na oração pede para que o marido se cure do cancro.

Subscrever
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários