Main menu
Este é o jornal Hoje Macau na internet. Somos as notícias, a análise, a opinião e muito mais, em língua portuguesa, na Região Administrativa Especial de Macau. Este é um espaço de duas frentes: dar e receber. Por isso queremos a sua colaboração: os seus comentários, as suas histórias e o seu olhar sobre o mundo são bem vindos. Partilhe connosco o que sabe e partilhe com os outros o que lhe dizemos. Faça parte do Hoje Macau, desta cidade úbere de factos e de histórias, de enganos e de memórias, de desembarques e de partidas, de amores e de aventuras — aqui onde a liberdade suavemente escreve a história de uma perene saudade do futuro.

Jogo | Centro do IPM r…

Académicos dizem que as operad…

Destaque

Turistas | Executivo a…

Muito se tem falado da possibi…

Destaque

Seac Pai Van | Governo…

O caso da parede oca de Seac P…

Destaque

Governo defende que id…

O Governo quer apostar na trad…

Destaque

Mulheres | Agnes Lam q…

A docente da Universidade de M…

Destaque

LAG | Transportes, Jog…

Três figuras do meio político …

Destaque

Imobiliário | Opiniões…

As declarações surgiram do líd…

Destaque

Bruno Figueiredo, cent…

Nasceu santista há 28 anos. Br…

Desporto

CCPPC | Alargamento da…

Xi Jinping prometeu, em Dezemb…

Destaque

Morte de bebé | Pai ex…

O pai do bebé que perdeu a vid…

Destaque

Moda | O mundo embrion…

Têm trabalhos a tempo inteiro …

Cultura

Imobiliário | Chui Sai…

Está à sorte do destino o dese…

Destaque
«
»
Second Menu
Hoje MacauDestaque SociedadeAssociação dos Macaenses necessita de, pelo menos, um milhão de patacas para funcionar

Associação dos Macaenses necessita de, pelo menos, um milhão de patacas para funcionar

A Associação dos Macaenses (ADM) precisa de, no mínimo, um milhão de patacas para conseguir cumprir algumas das actividades que se propõe a fazer durante este ano.

16113P6T1Quem o afirma é Miguel de Senna Fernandes, presidente da associação, que ontem viu tomar posse os novos corpos gerentes para os anos 2013/2015. “Excede um milhão. As actividades custam dinheiro, mas o que não pode faltar, no mínimo, é um milhão de patacas. Tentamos demonstrar que as actividades propostas têm a sua nobreza e a sua razão de ser e merecem ser apoiadas”, explicou.
Dentro das actividades propostas para este ano, está por exemplo, a retoma do lançamento do “Álbum da Malta”, um livro que junta fotografias da comunidade macaense desde os finais dos anos 50 aos anos 70. Ideia que ficou, no ano passado, em “banho-maria”, explica Senna Fernandes, devido precisamente à falta de apoios financeiros.
O presidente da ADM refere que o valor pedido – de um milhão de patacas – é apenas o básico. “Sem [esse valor], a ADM não pode funcionar. Caso não recebamos isso, não teremos nenhuma actividade. A Fundação Macau foi criada precisamente para dar apoio. Somos modestos, não podemos recorrer se não nos derem mais, mas tentamos demonstrar que precisamos de dinheiro. A tecla é sempre a mesma, espero que depois de tanto bater, fure o grau de sensibilidade de quem tem poder sobre este ou aquele subsídio.”
A ADM afirma serem muitos os desafios a enfrentar, sendo o maior precisamente a falta de meios financeiros. “Nestes anos, não conseguimos desenvolver mais por esta razão, de não conseguirmos muito dinheiro.”

Workshops e actividades
Com limites em termos de desenvolvimento ou não, o presidente da ADM assegura existirem muitos planos para este ano. Workshops de patuá – o crioulo macaense – e de culinária macaense estão na lista, com a ADM a frisar ter estratégias para angariar mais apoios. “Para este ano, vamos retomar a parceria com a confraria [macaense] e vamos alinhar com a Direcção dos Serviços de Educação e Juventude pra integrar estes workshops no programa de formação contínua”, de forma a que os custos dos cursos possam ser subsidiados.
Miguel de Senna Fernandes garante haver já pessoas interessadas, muito porque a ADM está a conseguir angariar mais jovens como membros.
A curto prazo, a associação promete realizar uma exibição fotográfica com material exclusivo de fotógrafos macaenses para celebrar os 500 anos de relações Portugal – China e, em meados de Março, realizar o Baile do Micareme, um festival estilo carnavalesco que celebra o intervalo do jejum na Quaresma.
Os colóquios sobre a identidade macaense também estão prometidos, na Escola Portuguesa.
Ontem, Margarida Leão Estorninho tomou posse como vice-presidente da associação, ao lado de Isabel Nunes. Os membros da direcção têm até dia 31 deste mês para apresentar o plano de actividades e submetê-lo à Fundação Macau, principal entidade que subsidia a associação, mas Senna Fernandes frisa que vai endereçar pedidos de apoio a outras entidades, principalmente para o “Álbum da Malta”.

Macaenses e portugueses juntos
É uma ambição de Miguel Senna Fernandes: macaenses e portugueses a falarem sobre a identidade dos primeiros. O presidente da ADM quer estender os colóquios da associação à comunidade portuguesa “em geral” e, apesar de ainda não ter falado com a Casa de Portugal garante que “seria bom” ter macaenses e portugueses juntos. “Daqui a muito pouco tempo temos de estar todos de mãos dadas, vamos precisar disso mesmo. Muita coisa vai acontecer”, deixa no ar.

Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Conversas com quem sabe

Olavo Rasquinho, secretário-geral do Comité dos Tufões: "O diálogo com o Governo não aconteceu"

O secretário-geral do comité dos tufões, sediado na RAEM, está de saída ao fim de oito anos. O seu substituto será chinês e foi eleito depois de um processo pouco consensual. Para Olavo Rasquinho, Macau…

Destaque na edição de 02 Mar 2015

Joana Vasconcelos, autora da obra “Valkyrie Octopus”

A artista portuguesa Joana Vasconcelos apresenta no próximo dia 15 de Março “a maior valquíria alguma vez produzida”, onde as luzes e os materiais se unem aos elementos portugueses da Grande Praça do MGM. Uma…

Destaque na edição de 13 Fev 2015

José Pereira Coutinho: “Andamos na fartura, mas vamos pagar um preço”

“Desde o primeiro dia da RAEM que o Governo chinês tem total conhecimento da real situação de Macau. A questão é quando intervirá. Enquanto as coisas andarem bem, a nível da perspectiva da China, mesmo…

Destaque na edição de 13 Fev 2015

Carlos Monjardino, presidente da Fundação Oriente: “O papel da FO tem-se limitado à vertente cultural”

O presidente da Fundação Oriente, considera que deveria haver um papel mais activo de empresas portuguesas em Macau no ensino da língua e mais ligação do IPOR à DSEJ. Nos planos da Fundação estão o…

Destaque na edição de 11 Fev 2015

Lilybeth Deapera e Pete Raymond Delfin, Cônsules das Filipinas: "Trabalhadores estão numa melhor situação aqui"

Os novos cônsules das Filipinas na RAEM garantem que a comunidade filipina tem melhores condições de trabalho em Macau do que noutros locais. Em relação aos investimentos no país, os operadores junkets têm estado de…

Destaque na edição de 09 Fev 2015

Thomas Lim, cineasta: "É sempre fácil apontar o dedo ao Governo para dizer que o…

O realizador e actor nascido em Singapura e radicado em Macau fala sobre as indústrias culturais e criativas, principalmente na área do cinema e da realização. Para Thomas Lim, faltam em Macau guionistas e produtores…

Destaque na edição de 06 Fev 2015

Lau Wing Sze e Michi Lam, assistentes sociais dos Kaifong: "População não reconhece a nossa…

Numa altura em que se realiza a consulta pública sobre o novo Regime de Credenciação dos Assistentes Sociais, duas profissionais analisam a nova legislação e dizem o que deve mudar

Destaque na edição de 30 Jan 2015

Carlos Piteira, investigador do Instituto do Oriente: “É preciso a presença forte de uma comunidade…

O investigador do Instituto do Oriente defende que é complicado identificar a entidade macaense

Destaque na edição de 26 Jan 2015

Entrevista | António Conceição Júnior: "Há que implementar medidas com que o cidadão tenha consciência…

Chama-se ‘Histórias de Amor e Desafecto – Crónicas de Cidadania’ e é o mais recente livro de António Conceição Júnior. É lançado no dia 29 de Janeiro, no Consulado-Geral de Portugal, e traz-nos um conjunto…

Destaque na edição de 23 Jan 2015

  • 1
  • 2
  • 3

Escolhidas

Central Point, empresa…

A Central Point começou há menos de u…

3000 dias e 3000 noite…

Esta é a edição 3000 do Hoje Macau. D…

Reportagem | "Chamávam…

Três professores chineses contam como…

Reportagem | Empresári…

Acusações visam má organização e repr…

Reolian | Empresa fali…

A morte da Reolian saiu ontem à rua d…

Por ocasião do lançame…

Passaram este ano 500 anos desde que,…

Que mal fez a populaçã…

Que mal fizeram os residentes para qu…

Património | Um despre…

Um dos maiores problemas do restauran…

«
»

Pessoas

Contactos

Pensar culturalmente Macau é também pensar em português. É continuar um legado linguístico e patrimonial. É não negar a existência de uma fatia da sua população e o direito à sua afirmação.

hoje Macau

Calçada de Santo Agostinho, 19
Centro Comercial Nam Yue – 6.º A - Macau
Telefone: +853 28752401
Fax: +853 28752405
E-mail: info@hojemacau.com.mo

Facebook