PARTILHAR
Mr. Creosote (Terry Jones) Maitre D? (John Cleese)

Já pensou em quanta água, madeira e electricidade, cereais, carnes e peixes iremos consumir ao longo da nossa vida, sem esquecer o combustível? Será que esses recursos irão durar até à geração dos nossos netos e bisnetos? Se nunca pensou nesta questão, ou se pensa que os recursos do planeta são inesgotáveis, é melhor ler o que vem a seguir.

Os seres humanos dominam o mundo, através da sua alta inteligência, controlam o ambiente e exploram o que desejam. Contudo, com ou sem conhecimento de causa, têm destruído outras espécies de animais que também habitam no mesmo planeta.

O relatório anual recentemente divulgado – o Living Planet Report, publicado pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF) e pela Sociedade Zoológica de Londres – diz-nos que, entre os anos de 1970 e 2012, o número de animais selvagens diminuiu cerca de 58%. Isto quer dizer que nos últimos 42 anos metade dos animais já desapareceu deste mundo. O relatório diz-nos ainda que, nos próximos 50 anos, o nosso planeta vai perder mais dois terços de animais selvagens.

Se leu até aqui, consegue perceber quais são as razões e os problemas? Sim, nós humanos (ou pelo menos alguns) destroem e poluem o habitat natural desses animais, ao pescarem e caçarem animais selvagens de forma não sustentável. Tudo isso faz com que elefantes, gorilas e outras 300 espécies estejam perto da extinção, apenas com o intuito de satisfazer os nossos desejos, encher as nossas barrigas, desenvolver as cidades e ganhar dinheiro. Enquanto todos não considerarem que esse é um problema, os animais não poderão queixar-se, pois serão comidos e usados: o destino deles será apenas um, a morte.

Outra razão da diminuição de um grande número de animais selvagens prende-se com a expansão da agricultura e o corte de árvores. Os humanos invadiram ou exploraram a maior parte dos terrenos existentes no planeta, e actualmente apenas 15% dos solos existentes estão protegidos.

O problema atinge ainda os recursos hídricos, ao nível dos rios e lagos. Devido ao excesso de extracção de água, à poluição e à construção de barragens, a possibilidade de sobrevivência de alguns animais piorou.

Apesar dos graves resultados que o relatório revela, é previsível que a maioria da população continue a fazer o que é mau para o ambiente, considerando até que é um problema que nada tem a ver consigo. Isto é que é verdadeiramente preocupante.

Não estou apenas a mostrar simpatia para com os animais, mas também os seres humanos vão sofrer, um dia, ameaças devido à escassez de recursos naturais tão básicos como água e alimentos. Sem outros animais os seres humanos também não vão conseguir viver num ambiente equilibrado.

Uma mudança de hábitos é a única solução, sobretudo ao nível da produção e do consumo. Um de nós não pode com certeza mudar todo o mundo, mas tudo pode começar com uma única mudança. Comer menos carne poderia ser uma solução, enquanto que as próprias empresas devem assegurar que a sua cadeia de fornecimento é sustentável e não destrói a origem dos recursos. Também os governos devem assegurar que as políticas são sustentáveis. Se um começar a mudar, os restantes também vão mudar, e aí far-se-á um caminho em prol de um melhor planeta.

DEIXE UMA RESPOSTA