PARTILHAR

Entre a próxima terça e sexta-feira a Universidade de Macau (UM) acolhe a palestra com o tema “Discursos Memorialistas e Construção da História”, organizada em parceria com o departamento de português da UM e o Centro de Investigação de Estudos Luso-Asiáticos (CIELA). Segundo um comunicado, a conferência irá servir para “questionamento teórico e epistemológico das memórias, entendidas como ‘locais de construção da nação’, dos actores políticos nos processos históricos em Macau e nos países africanos de língua portuguesa (nos períodos coloniais e pós-independência).

Será dado um “particular destaque ao ‘lugar incomum’ que Macau ocupa nas margens dos países de língua portuguesa, bem como aos seus actores políticos e seus escritos memorialistas, contribuindo para mapear os seus ‘lugares de memória”. No encontro participam académicos oriundos de vários países de língua portuguesa, tais como Lourenço do Rosário, da Universidade Politécnica de Moçambique, que irá falar sobre “Memória, História e Ficção: o significado das autobiografias”, enquanto que o professor Rogério Puga, da Universidade Nova de Lisboa, vem falar do “Papel Pioneiro de Macau nas Relações Sino-Ocidentais: o Primeiro Museu (1829-1834) e a Biblioteca de Língua Inglesa (1806-1834)”. Já Valdemir Zamparoni vem da Universidade Federal da Bahia, Brasil, para falar sobre “África e Africanos: Caminhos da Identidade Brasileira”. Todas as sessões da palestra vão decorrer na sala G035, edifício E22 do campus da UM.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA