PARTILHAR

Oprimeiro-ministro chinês, Li Keqiang, de visita a Cuba, salientou a importância da cooperação económica e comercial, assinando cerca de 30 acordos durante o seu encontro, no sábado, com o Presidente da ilha, Raúl Castro. Li e Castro conversaram sobre as “excelentes relações entre os dois países, os principais projectos de cooperação” e o fortalecimento dos vínculos bilaterais, segundo uma nota oficial sobre o encontro.
Após a reunião, os dois líderes presidiram a assinatura de cerca de 30 instrumentos jurídicos para favorecer a cooperação, incluindo um protocolo que oficializa a redução da dívida da ilha para com a China, segundo a televisão estatal cubana.
Foram também assinados acordos que fixam doações chinesas para a modernização das alfândegas cubanas e para a compra de painéis solares, bem como um acordo para um “projecto de reforma ligado à imprensa e materiais gráficos”.
Estes acordos abrangem também áreas como ambiente, informática, indústria, biotecnologia, energias renováveis e sector bancário.
Li, que chegou a Havana no sábado para uma visita que se estende até segunda-feira, disse que entre os objectivos da sua viagem está a “intensificação da confiança mútua política” e a “injecção de uma nova dinâmica às relações bilaterais”.
Para o primeiro-ministro chinês, Cuba “conquistou êxitos extraordinários na construção e desenvolvimento nacionais, opondo-se resolutamente à ingerência externa e resistindo ao contínuo bloqueio estrangeiro” dos Estados Unidos.
Cuba e a China mantêm relações estreitas, com um intercâmbio que nos primeiros nove meses de 2015 chegou aos 1.596 milhões de dólares, um crescimento de quase 57% em relação ao ano anterior, de acordo com dados oficiais.
Em 2014, o Presidente chinês, Xi Jinping, visitou Cuba, para onde começaram a realizar-se voos direitos a partir da China no final de 2015.
O primeiro-ministro chinês chegou a Cuba após participar na Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque e de uma visita ao Canadá. A sua estadia em Cuba estender-se-á até hoje, segunda-feira.
Cuba e China mantêm relações muito próximas, nas quais o país asiático figura como o segundo maior parceiro comercial da ilha, com trocas comerciais de US$ 1,596 mil milhões, nos primeiros nove meses de 2015, o que representa um crescimento de quase 57% em relação a 2014, de acordo com dados oficiais.
A chegada de Li ocorre numa semana de intensa actividade bilateral para o governo cubano, que nos últimos dias também recebeu na ilha o presidente do Irão, Hassan Rohani, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here