PARTILHAR
O banco com o maior número de sucursais abertas ao público na China poderá protagonizar este mês a maior saída em bolsa do ano, com a emissão de 6,6 mil milhões de euros na bolsa de Hong Kong

Aoferta pública inicial do Postal Savings Bank of China (PSBC) será também a maior desde que o gigante chinês de comércio electrónico Alibaba realizou a maior operação de entrada em bolsa de sempre. A estreia do Alibaba na bolsa de Nova Iorque, em 2014, atingiu os 22.430 milhões de euros.
O valor da saída em bolsa do PSBC fica, contudo, aquém do previsto inicialmente pela empresa, que estimava uma operação de 6,6 mil milhões de euros, indicando uma procura aquém do esperado. No conjunto, o PSBC emitirá 12,1 mil milhões de acções, cada uma avaliada em 54 cêntimos de euro, no dia 28 de Setembro, segundo a agência de notícias Bloomberg. Trata-se de um valor próximo do mínimo no intervalo de preços por título estabelecido pela empresa, entre 4,68 e 5,18 dólares de Hong Kong.
A maioria das acções deverá ser adquirida por grandes investidores. Com 40.000 sucursais na China, cerca de 70% em áreas rurais, o PSBC é o quinto maior banco do país. Fundado em 2007, fornece serviços bancários para agricultores e proprietários de negócios agrícolas e é a única instituição financeira presente em algumas das áreas mais remotas da China.
De acordo com dados recentes, o valor total dos activos detidos pelo PSBC soma 1,03 biliões de euros. No primeiro trimestre do ano os lucros do grupo subiram 11%, para 1,67 mil milhões de euros.
Originalmente detido na totalidade pelo Estado chinês, o PSBC angariou 6,06 mil milhões de euros com a venda de 16,92% da empresa a 10 investidores estratégicos, em Dezembro passado. Entre os grupos que adquiriram parte do banco constam os gigantes da ‘internet’ Alibaba e Tencent, o banco suíço UBS e a empresa de Singapura Temasek Holdings.
Pequim tem defendido uma reforma urgente no sector do Estado, incluindo a promoção da propriedade mista e um sistema corporativo moderno, visando incutir uma “disciplina” de mercado nas empresas estatais. Apesar da China ter aderido às “práticas capitalistas” com a política de “Reforma Económica e Abertura ao Exterior”, adoptada em 1979, os grupos estatais continuam a dominar os sectores chave da economia chinesa.
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here