PARTILHAR

Macau teve, em 2015, a mais baixa taxa de suicídio em dez anos. Os dados são dos Serviços de Saúde (SS), com base na média da Organização Mundial da Saúde, que indica que, em todo o mundo, mais de oitocentas mil pessoas cometem suicídio. Mas, novos dados da PSP, mostram que as tentativas de suicídio passaram a centena, no ano passado.
Os dados chegam no dia em que se assinalou o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, sábado. No mundo, a taxa de mortalidade devido a suicídio é de 11,4 pessoas por cada cem mil. Em Macau, durante o ano de 2015, e de acordo com os dados dos SS, foram registados 62 casos de suicídio, dos quais 53 pessoas eram residentes de Macau (35 homens e 18 mulheres).
As informações indicam que a taxa global de suicídio foi, assim, de 9,6 por cada cem mil pessoas. Se forem considerados apenas as pessoas residentes, a taxa de suicídio foi de 8,2.
“Em comparação com 2014 a taxa global de suicídio, nos residentes em Macau, diminuiu cerca de 15,8%, sendo não só o valor mais baixo dos últimos quatro anos, mas também o número mais baixo desde 2005, ano em que teve início o sistema de monitorização de suicídios”, indica o organismo.

Outros números

Mas, dados da PSP recentemente enviados ao HM, e depois deste jornal ter lançado, na sexta-feira, um artigo sobre o assunto, indicam que as tentativas de suicídio foram bem superiores.
Em 2015, 126 pessoas tentaram pôr fim à vida. A maioria era mulheres e residentes de Macau (53), seguida de homens residentes (46) e não residentes (27). A PSP diz, contudo, que destas contabilizaram-se 24 mortes. Já este ano, até Julho, o número de casos ascendeu a 87. Novamente, no caso dos residentes, a maioria era mulher (33). Mas, “só” 21 conseguiram pôr fim à vida.
Segundo a TDM, em dez anos, a PSP contabilizou 490 casos de suicídio e a Direcção dos Serviços de Estatísticas e Censos 525. A disparidade nos números deve-se ao facto do tratamento ser dividido entre as diferentes autoridades.
Embora Macau não pertença às regiões com alta prevalência de suicídio determinada pela Organização Mundial da Saúde, os SS alertam que “há cada vez mais pessoas cujo estado mental encontra-se em estado de sub-saúde devido às rápidas e sucessivas alterações da sociedade, nomeadamente, os problemas enfrentados e o stress de vida em excesso suportados pelos cidadãos”.
Jogo, depressão e solidão são as principais causas que levam ao suicídio no território. Os Centros de Saúde do Tap Seac, Fai Chi Kei, da Areia Preta, do Jardim do Oceano e do Carmo-Lago dispõem de consultas externas de saúde mental, avisam os SS.

PARTILHAR
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here