PARTILHAR

Mais um esquema Ponzi, também conhecido por pirâmide, desmantelado pelas autoridades chinesas. Ao todo são 26 os envolvidos na fraude e angariação ilegal de fundos, que terão lesado 900 mil pessoas em mais de sete mil milhões de euros. O caso segue para tribunal.
Lançado em 2014, o Ezubao, assim se chamava o esquema, era a quarta maior plataforma ‘online’ na China a disponibilizar empréstimos. A empresa colocava projectos no seu portal e pagava aos credores mais antigos com o dinheiro de novos investidores, conseguindo alimentar o negócio. A redução consecutiva das taxas de juro e a recente volatilidade no mercado bolsista chinês, aliados à incerteza no mercado imobiliário, terão atraído cada vez mais investidores chineses para esquemas de angariação ilegal de fundos.
Segundo a agência chinesa Xinhua, as autoridades acusaram de fraude 11 pessoas, incluindo os executivos da Yucheng, sociedade matriz do Ezubao, o director executivo Ding Ning e o presidente Zhang Min. No processo fazem ainda parte mais 15 nomes acusados de angariar dinheiro dos investidores de forma ilegal.
Numa entrevista difundida na televisão estatal Zhang Min admitiu que “o Ezubao é um típico esquema Ponzi”. Em Maio passado, a polícia prendeu 35 executivos e funcionários da empresa com sede em Xangai Zhongjin Asset Management, após esta não ter pago um total de 5,2 mil milhões de yuan aos seus 25.000 investidores. De acordo com a polícia, o caso já seguiu para Tribunal.
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here