PARTILHAR
A chuva dominou o dia 11 no “campo” olímpico levando a que algumas provas, remo e ténis, fossem adiadas. Espanha sentiu o gosto do ouro. O Japão reinou no judo e na ginástica e o atirador do Kuwait, país proibido de participar na competição olímpica, ganhou o ouro enquanto atleta independente. Alexis Santos e Nelson Oliveira foram os atletas lusos em evidência e o empate de Portugal a um golo, no torneio de futebol, permitiu a passagem aos quartos de final

Espanha ganhou a primeira medalha de ouro nestes jogos e graças à nadadora Mireia Belmonte. A atleta venceu a final dos 200 metros mariposa com o tempo de 2.04,85 minutos. Belmonte impôs-se por três centésimos de segundos à australiana Madeline Groves, enquanto o bronze foi para a japonesa Natsumi Hoshi. De referir que a nadadora espanhola já tinha dado o bronze à Espanha no sábado, nos 400 metros estilos.
Outra surpresa foi o nadador do Cazaquistão Dmitriy Balandin que venceu a final dos 200 metros bruços, conquistando a primeira medalha olímpica para o seu país na natação. O nadador cazaque superou o norte-americano Josh Prenot, medalha de prata, e o russo Anton Chupkov, medalha de bronze.

Portugal forte

A selecção de futebol conseguir atingir o objectivo de vencer o grupo D, ao conseguir o empate necessário, face à Argélia, a um golo. Neste agrupamento estão também as Honduras.
A equipa das quinas disputa amanhã com a Alemanha em Brasília a passagem às meias finais.
Nelson Oliveira foi o grande destaque da delegação lusa, ao ‘selar’ o terceiro diploma para Portugal nos Jogos Olímpicos, garantindo o sétimo lugar no contra-relógio.
O atirador João Costa, também alimentou algumas esperanças, mas acabou por terminar em 11.º lugar a prova de pistola livre a 50 metros, falhando a final por dois pontos.
Na piscina, Alexis Santos também fez história ao tornar-se o primeiro nadador a chegar a uma meia-final. Depois de conseguir o terceiro melhor resultado de sempre da natação portuguesa em Jogos Olímpicos e de ter sido o primeiro a apurar-se para uma meia-final em 28 anos. O nadador do Sporting lamentou a falta de apoios e espera que haja outra atitude no futuro. “Espero que agora haja uma mudança, mais apoio aos atletas, mais condições de treino, que isso é o que falta em Portugal, na minha opinião”, afirmou.
O dia não correu bem para Célio Dias que ficou aquém das expectativas, sendo eliminado na primeira ronda, ao perder com Celtus Dossou Yovo, do Benim. Estreante em Jogos Olímpicos, o judoca que é 21.º do mundo, foi surpreendido pelo 220.º mundial, por ‘ippon’, em 1.48 minutos.

Boas marés

Boas notícias nas provas de vela. Gustavo Lima na categoria de Laser e Sara Carmo, Laser Radial, ambos a terem o melhor dia subindo ao 16.º posto e ao 26.º das respectivas classes. Sara Carmo não atingiu resultados tão bons, ficando com um 18.º posto na quinta regata e um 13.º na sexta, totalizando 108 pontos.

Japão arrecada medalhas

O japonês Kohei Uchimura conquistou ontem a medalha de ouro do concurso completo de ginástica artística, revalidando o título conquistado em Londres 2012.O atleta que na segunda-feira tinha ganho a primeira medalha de ouro por equipas, venceu num final emocionante o ucraniano Oleg Verniaiev, medalha de prata, enquanto o britânico Max Whitlock ficou com a de bronze.
Também vindo do Japão o judoca Mashu Baker conquistou ontem a medalha de ouro na categoria -90 kg dos Jogos Olímpicos, oferecendo ao país nipónico o terceiro título na modalidade.
Pode-se dizer que foi isso que aconteceu ao sonho chinês. A vontade de fazer um pleno de medalhas vencendo a prova de prancha a três metros de saltos para a água, não se concretizou. Quem arrebatou a medalha foram os britânicos Jack Laugher e Chris Mears que “bateram” os norte-americanos Sam Dorman e Mike Hixon, medalha de prata, e os chineses Cao Yuan e Qin Kai, que tiveram de se contentar com a de bronze.

Portugueses em acção

Os portugueses Filipe Lima e Ricardo Melo Gouveia, no golfe, e Telma Santos, no badminton, têm amanhã a sua estreia agendada. Já Jorge Fonseca, nos 100kg, é o último judoca a competir. Jorge Fonseca é o último representante português no judo, modalidade que deu, até ao momento, a única medalha a Portugal, conseguida pela atleta benfiquista, Telma Monteiro, que venceu o bronze nos -57kg. O judoca do Benfica é 29.º do mundo, e vai começar a competição frente ao afegão Mohammad Tawfig Bakhshi, 226.º que compete neste jogos a convite. De referir que é uma estreia para o atleta luso. A mais jovem atleta da comitiva portuguesa, a nadadora Tamila Holub, de 17 anos, também se estreia no Jogos deste ano, nas eliminatórias dos 800 metros livres.

A primeira vez

Fehaid al-Deehani, atleta do Kuwait, que compete no Rio de Janeiro como atleta independente, conquistou a medalha de ouro no duplo fosso olímpico. O atirador, de 49 anos, já tinha levado o bronze em Sydney 2000 e Londres 2012, dando então ao Kuwait as suas primeiras medalhas olímpicas. Este ano, o Comité Olímpico Internacional não permitiu a presença do Kuwait, por interferência do poder político no movimento desportivo. Al-Deehani recorreu e foi autorizado a competir, o que faz através do grupo dos atletas independentes (AOI). A medalha de Al-Deehani é a primeira alguma vez conquistada em Jogos Olímpicos por um atleta independente. Convidado a levar a bandeira da delegação independente, recusou-se e invocou o estatuto de militar para justificar que só poderia levar a bandeira do seu país. De referir que no segundo lugar do pódio ficou o italiano Marco Innocenti e no terceiro o britânico Steven Scott.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here