PARTILHAR
Mais medalhas para Phelps, um pedido de casamento e o adeus de Serena Williams e de Gastão Elias da competição olímpica. A Alemanha e a Grécia saborearam o ouro pela primeira vez nestes jogos em competições de hipismo e tiro respectivamente. Um grupo de hackers atacou alguns sites governamentais como forma de protestos contra os jogos

Michael Phelps voltou a conquistar medalhas. Na prova de estafeta 4×200 metros e na de 200 metros mariposa, elevando assim, para 21 as medalhas conquistadas a título pessoal e 25 no total. (ver caixa)  
A nadadora húngara continua a fazer um percurso invejável. Katinka Hosszu conquistou o título olímpico dos 200 metros estilos, assegurando a sua terceira medalha de ouro nestes jogos. Anteriormente já tinha vencido nas categorias de 400 metros estilos e dos 100 metros costas.
A Alemanha que tem tido uma prestação fraquinha, sentiu a par da Grécia, o sabor da vitória ao conquistar o primeiro lugar numa prova de hipismo e numa de tiro, respectivamente.
O cavaleiro Michael Jung conquistou a primeira medalha de ouro da Alemanha, ao revalidar o título de campeão olímpico do concurso completo de equitação. Jung, de 34 anos, montando o cavalo Sam, já tinha nestes Jogos uma medalha de prata, na competição por equipas, em que a Alemanha foi batida pela França. Antes de Jung, apenas dois cavaleiros conquistaram dois títulos consecutivos em Jogos Olímpicos: o holandês Charles Pahud de Mortanges, em 1928 e 1932, e o neozelandês Mark Todd, em 1984 e 1988. Hoje, aos 60 anos, o ‘kiwi’ conquistou o sétimo lugar. A Grécia, graças a uma pontaria certeira de Anna Korakaki de apenas 20 anos, conquistou o primeiro lugar na prova de tiro com pistola a 25 metros. A jovem já tinha conquistado o bronze na prova de tiro com pistola a 10 metros.

Uns ficam outros vão

Foi o último dia de competição para Serena Williams. A número um mundial foi derrotada na terceira ronda pela ucraniana Elina Svitolina, por 6-4 e 6-3, e perdeu a hipótese de chegar às medalhas no Brasil, depois de ter sido afastada na variante de pares, juntamente com a sua irmã, Vénus. Marcos Freitas mostrou-se desiludido por ter caído nos quartos de final do torneio de ténis de mesa dos Jogos Olímpicos Rio2016, uma vez que o seu objectivo era discutir as medalhas. O atleta português estava visivelmente desiludido “é óbvio que chegar aos quartos de final é bom, é a primeira vez, mas sabia que podia chegar mais longe. O adversário estava ao meu alcance, já lhe tinha ganho antes. Hoje ele esteve muito bem(…)começou muito forte, ganhou muitos pontos e cada vez mais confiança e não tive hipótese”, disse o jogador madeirense, que tem ainda hipóteses de mostrar serviço na variante de pares. A mesma “sorte” teve Gastão Elias que encontrou ontem uma muralha em Steve Johnson, despedindo-se do torneio olímpico de ténis na segunda ronda, com uma derrota por 6-3 e 6-4 frente ao norte-americano.
Quem não tem razão para se lamentar é o judoca russo Khasan Khalmurzaev. Conquistou a medalha de ouro na categoria de -81 kg, naquilo que é um grande feito na sua carreira, uma vez que tem apenas 22 anos. Khalmurzaev alcançou o segundo título para a Rússia no judo, depois de Beslan Mudranov ter ganhado a categoria de -60 kg.
A chinesa Deng Wei juntou ontem ao título olímpico de halterofilismo na categoria de -63 kg, um novo recorde mundial, devido à desistência à última da hora de Lin Tzu-Chi, de Taiwan.

Fora da competição mas a ela ligado, o grupo de ‘hackers’ Anonymous Brasil informou ontem que invadiu e roubou dados de seis ‘sites’ do governo e da câmara municipal do Rio de Janeiro, como protesto contra a realização dos Jogos Olímpicos de 2016 na cidade ‘carioca’.
As páginas bloqueadas são, entre outras, as da Polícia Civil, a do Instituto de Segurança Pública e a da Companhia Municipal de Limpeza Urbana.
Este dia fica marcado ainda pela expulsão do tenista francês Benoît Paire, acusado de reiteradamente ter “desprezado as regras”, (ver texto anexo). E água da piscina de saltos que ficou verde supostamente por uma proliferação de algas, segundo o Comité Olímpico.

Norte-coreano pede desculpa por prata

“Não creio que possa ser um herói para o meu povo com uma medalha de prata”, referiu Om Yun-Chol, atleta de halterofilismo, depois da sua prestação nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O atelta norte-coreano, que conseguiu o 2.º lugar, pediu desculpa ao líder do seu país, Kim Jong Un. Om Yun-Chol tinha ganho a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e dedicou a conquista a Kim Jong-Il e a Kim Jong-Un. Desta vez ficou atrás do chinês Long Qingquan. “Espero poder voltar na próxima oportunidade, competir novamente e retribuir a minha gratidão com ouro”, frisou o norte-coreano, que tem esperança em conseguir um melhor resultado nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. 

Furacão na piscina

O nadador Michael Phelps alargou para 21 as medalhas de ouro em Jogos Olímpicos, ao integrar a estafeta norte-americana vencedora da prova dos 4×200 metros livres. O americano venceu no mesmo dia a prova dos 200 metros mariposa, elevando para 21 os títulos olímpicos, num total de 25 medalhas. Na prova de equipa Phelps contou a ajuda dos companheiros Conor Dwyer, Townley Haas e Ryan Lochte. Na prova solitária, caracterizada por uma forte disputa Phelps voltou a ser o mais forte, tendo vencido com o tempo de 1.53,36 minutos, superando o japonês Masato Sakai, medalha de prata, e o húngaro Tamas Kenderesi, medalha de bronze. O nadador americano continua a ser um furacão dentro de água, somando conquistas a uma velocidade quase tão grande com à das usa braçadas.

“Sim”, aceito

A final de râguebi, ganha pela Austrália à Nova Zelândia, passou para segundo plano devido ao amor. Marjorie Enya, uma voluntária nos Jogos Olímpicos decidiu pedir a sua namorada, uma jogadora da selecção brasileira, em casamento. Entrou em campo, pegou num microfone e declarou o seu amor por Isadora Cerullouma. A resposta veio com um abraço e um beijo que arrancou os maiores aplausos das bancadas. A viverem em união de facto há dois anos, Marjorie confessou “assim que soube que ela seria parte da selecção, pensei que tinha que fazer isto de forma especial”, concluindo, “ela é o amor da minha vida”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here